Quando a última árvore tiver caído, o último rio tiver secado, quando o último peixe for pescado, vocês vão entender que o dinheiro não se come.

Greenpeace

I hope that God exist!

quarta-feira, 24 de março de 2010

A Carochinha



A Carochinha, Acrílico sobre papel, 70x100cm, 2010
Clecção particular

Quem quer casar com a Carochina?




Quem quer casar com a Carochihina, Acrílico sobre papel, 70x100cm, 2010
Comecei a desenvolver uma série de trabalhos baseados na história que todos conhecem " A Carochinha"

sexta-feira, 19 de março de 2010




pormenor de " O quadro do Gato"

O quadro do gato




O quadro do Gato, Acrílico sobre papel, 70x100cm, 2010

Numa sala onde a D. Alice tinha por hábito beber o chá na companhia das suas velhas amigas havia um quadro muito antigo, não se sabia há quantos anos ele tinha sido pintado, a Alice vivia nesta casa desde a sua tenra idade e agora já passava dos 80 anos e sempre se recorda de ver este retrato do Gato.
Na casa também havia um casal de Piriquitos barulhentos, era uma forma de cortar de vez o silêncio de longas horas de solidão, o que ela nunca se apercebera é que eles viviam apavorados que o gato saísse da tela num salto veloz e fizesse deles os bolinhos para acompanhar o chá.

quarta-feira, 17 de março de 2010

O sonho




O sonho, Acrílico sobre papel, 70x100cm, 2010

O Urso vivia numa gruta lá para os lados do Alasca, o seu alimento preferido era sem dúvida um gordo e saboroso Salmão, mas para isso tinha que se aventurar nas águas gélidas, não era o frio que o inibia mas sim o terrível medo à água,o pavor era tal que todas as noites os seus sonhos eram perturbados com pesadelos onde ele se via rodeado de peixes e chegava mesmo a sentir dificuldades em respirar. Sempre que se ia deitar preparava-se para mais um sonho dentro de água, punha os seus óculos de mergulho. Tonto! não chegava a tirar partido da fantasia que os sonhos lhe ofereciam.

terça-feira, 9 de março de 2010

A menina e o Galo




A menina e o Galo, Acrílico sobre papel, 70x100cm, 2010


A menina morava numa quinta grande, muito grande, daquelas de perder de vista, vivia com os seus pais e alguns criados, como não tinha com quem brincar passava as suas tardes na companhia de um velho Galo, o bicho mais sábio da quinta, era o mais antigo de todos e por isso sabia todas as histórias e também era um bom inventor de algumas. Entre eles havia uma grande amizade, ela dava-lhe o respeito e atenção que ele tanto apreciava e em troca ele fazia-a viajar através do tempo, conquistando dragões, visitando a China, navegando numa caravela e sobrevoando os céus pelo mundo fora numa grande balão.

quarta-feira, 3 de março de 2010

O Gato das botas




O Gato da botas, Acrílico sobre papel, 100x70cm
Colecção particular

Era um Gato meigo, passava a vida a ronronar juntos ás pernas das pessoas, especialmente quando o homem da casa chegava depois de mais um dia de trabalho, as botas que ele usava eram um desejo, imaginava-se o mítico Gato das Botas, o devorador e conquistador de todas as gatas da vizinhança, como era bom! pensava. Sempre que o homem descalçava as botas ele corria para junto delas, levantava a cabeça para o céu a jeito de pedido e sonhava.