Quando a última árvore tiver caído, o último rio tiver secado, quando o último peixe for pescado, vocês vão entender que o dinheiro não se come.

Greenpeace

I hope that God exist!

domingo, 25 de abril de 2010

sábado, 24 de abril de 2010

A menina árvore



A menina árvore, Acrílico sobre papel, 50x70cm, 2010
Colecção particular

Um dia a menina acordou e dos seus cabelos nasceram galhos e ramos, num abrir e fechar de olhos formou-se uma grande e pesada árvore, nela havia uma dezena de ninhos, aqueles que em tempos passados ela inocentemente destruía.
A sua curiosidade de criança levava-a a subir às árvores e com as suas pequenas mãos partir á descoberta dos frágeis ninhos, sem saber ela tinha impedido de muitas aves se lançarem nos prazeres do voo porque interrompera as suas vidas ainda dentro do ovo. Como castigo, agora, tinha que suportar o peso de uma velha árvore carregada de ovos e os seus pequenos braços não conseguiam alcança-los.

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Depois da escola vou aos ninhos




Depois da escola vou aos ninhos, Acrílico sobre papel, 50x70cm, 2010
Colecção particular

Este trabalho surgiu de um pedido de uma encomenda, a sra recorda da sua infância a ida aos ninhos , largava a sacola e subia à árvore
Baseei-me na virgem de Dieric Boults e retratei a menina depois da acção, segura o ninho entre as mãos enquanto o casal de pássaros procura os seus filhos. A inocência está retratada pela virgem e pela expressão tranquila das suas mãos, o seu olhar é terno e diz-nos que não vai fazer mal aos pobres bichos.
Esta menina mostra-nos que há má acções que podem vir quem ama e quer cuidar

sábado, 17 de abril de 2010

-Quero eu! Quero eu! - Deus me livre, dizem por aí que tens mau feitío!



-Quero eu! Quero eu!
-Deus me livre, dizem por aí tens mau feitío
Acrílico sobre papel, 70x100cm, 2010

Retrato



Retrato Núria, Acríçico sobre papel, 50x70cm, 2010
Colecção particular

bolas! depois de o ver no formato digital é que reparei em alguns erros. vou assumi-los. é tb aqui que reside a diferença entre a fotografia e a pintura

segunda-feira, 12 de abril de 2010

-quero eu! quero eu! - tu não. tens umas hastes muito grandes e não consegues entrar em minha casa



-Quero eu! quero eu!
- Tu não. tens umas hastes muito grandes e não consegues entrar em minha casa
Acrílico sobre papel, 70x100cm, 2010

Este trabalho faz parte do grupo de trabalhos da história da Carochinha

terça-feira, 6 de abril de 2010

-quero eu! quero eu. - contigo não! fazes muito barulho de madrugada




-quero eu! quero eu!
-Contigo não, fazes muito barulho de madrugada
acrílico sobre papel, 70x100cm, 2010