Quando a última árvore tiver caído, o último rio tiver secado, quando o último peixe for pescado, vocês vão entender que o dinheiro não se come.

Greenpeace

I hope that God exist!

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Vê por onde andas


Vê por onde andas
Acrílico s/tela, 120X80cm

Quando era miúda andei sobre o parapeito da varanda de um 3º andar, escusado será dizer que resultou numas boas palmadas e um mar de lágrimas da mãe por pensar que podia ter acontecido o pior. Ainda hoje tenho uma relação amor/ódio pelas alturas.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

O chilrear


O chilrear
Acrílico s/tela, 120X80cm

Quando era pequena ia diariamente a casa da Titita ( tia), a casa tinha (tem) um quintal onde ela dedicava o seu talento na jardinagem, tinha canteiros de flores magníficos, no verão mesmo à tardinha era maravilhoso brincar naquele quintal , não só pela envolvente colorida mas pelo chilrear das andorinhas. Um som que guardo com saudade

O feliz encontro


O feliz encontro
Acrílico s/tela, 90X90cm, 2011

Este trabalho foi alterado, pela 1ª vez mexi num trabalho que tinha dado como concluído, não me arrependo, se o fiz é porque lá bem no fundo não o aceitava como estava!

As manas - a boa e a má


As manas - a boa e a má
Acrílico s/tela, 80X60cm, 2011

sempre tive a sensação de encarada como a mana má... :(

domingo, 14 de agosto de 2011

Espero ver-te passar II


Espero ver-te passar II
Acrílico s/tela, 80X60cm, 2011

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Tenho que repensar o quadro " A viagem", agrada-me o conceito, mas tenho que o fazer "aparecer" de maneira em que eu me apaixone por ele e como ele está eu sinto uma vontade de o mudar....amanhã talvez!

sábado, 6 de agosto de 2011

No meio da dificuldade encontra-se a oportunidade.
Albert Einstein

São pensamentos destes que me fazem continuar com o mesmo entusiasmo com que comecei

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

My best friend II


My best friend II, Acrílico s/tela, 80x60cm

Um dia quando chego da escola tinha em casa um surpresa, uma boa surpresa. O pai oferecera-nos uma cadelinha, durante 15 anos foi sem dúvida uma grande amiga
à Katty

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Um trecho do texto sobre os novos trabalhos a serem expostos em Setembro

...A pintora deixa-nos a sós. Deixa-nos a sós na procura do indizível. Deixa-nos envolvidos pela
estranheza do que é simples. Pouco importa se há: uma paisagem; um interior; um móvel;
um objecto; um espaço… quando o que se procura é que enquanto espectadores sejamos
motivados a participar na realização destas histórias. Histórias com gente e ainda com bichos....

um obrigada do coração ao meu professor de Gravura e também artista plástco, José Mourão

O anjo da guarda




O anjo da guarda, Acrílico s/tela, 100x80cm
Quando era criança não dormia sem antes fazer uma pequena oração ao meu anjo da guarda, mas tarde passei-a ao meu filho, mas não me parece que alguma vez ele a tenha dito