Quando a última árvore tiver caído, o último rio tiver secado, quando o último peixe for pescado, vocês vão entender que o dinheiro não se come.

Greenpeace

I hope that God exist!

quarta-feira, 3 de março de 2010

O Gato das botas




O Gato da botas, Acrílico sobre papel, 100x70cm
Colecção particular

Era um Gato meigo, passava a vida a ronronar juntos ás pernas das pessoas, especialmente quando o homem da casa chegava depois de mais um dia de trabalho, as botas que ele usava eram um desejo, imaginava-se o mítico Gato das Botas, o devorador e conquistador de todas as gatas da vizinhança, como era bom! pensava. Sempre que o homem descalçava as botas ele corria para junto delas, levantava a cabeça para o céu a jeito de pedido e sonhava.

1 comentário: