Quando a última árvore tiver caído, o último rio tiver secado, quando o último peixe for pescado, vocês vão entender que o dinheiro não se come.

Greenpeace

I hope that God exist!

quarta-feira, 3 de junho de 2015


Eréndira sucumbiu então  ao terror, perdeu o tino e deixou-se ficar como que fascinada com as franjas de lua de um peixe que passou a navegar no ar da tempestade, enquanto o viúvo a desnudava rasgando-lhe a roupa com sacões espaçados, como quem arranca erva, destruindo-a em compridas tiras de cores que ondulavam como serpentinas e seguiam com o vento

A Incrível e Triste História da Cândida Erêndira e da Sua Avó Desalmada, Gabriel García  Márquez

Sem comentários:

Enviar um comentário