Quando a última árvore tiver caído, o último rio tiver secado, quando o último peixe for pescado, vocês vão entender que o dinheiro não se come.

Greenpeace

I hope that God exist!

domingo, 17 de janeiro de 2010



A Oferta, Acrílico sobre papel, 70x100cm, 2010
Pintura de Ana Cristina Dias

Quase sempre, pelo tamanho do bico ela comia todo o peixe que se atravessava pelos seus passeios de mar, o pobre do Pinguim comia só mesmo quando a outra fazia um breve descanso. Dia para dia o Pinguim definhava, o que comia já não era suficiente para si quanto mais para alimentar outros bicos que estavam a seu cargo. Um dia desanimado e provavelmente sem forças entregou-se ao seu triste destino, a comilona vendo-o assim prostrado, perguntou-lhe o que se passava, não restava senão ao pobre Pinguim confronta-la abrindo-lhe humildemente o seu pequeno coração. A ave ficou sem palavras afinal nunca pensou que a sua ganância e a constante fome fosse um tormento para outros, para se desculpar ofereceu-lhe um peixe que trazia no bico

Sem comentários:

Enviar um comentário